Muitas mulheres chegam ao consultório ginecológico se queixando de corrimento. O corrimento é uma secreção vaginal que pode ter várias cores e cheiros, mas como saber se isso é normal?

Corrimento vaginal: o que pode ser?

Dra. Kathya Azevedo, ginecologista que atua há 4 anos em Porto Seguro, pode te ajudar a entender melhor esse assunto.

Antes de falar sobre os tipos de corrimento, é importante esclarecer que as secreções vaginais são naturais do corpo em idade fértil e variam de acordo com o ciclo menstrual. Isso significa que molhar/sujar a calcinha é normal e não é necessário tratamento para isso.

Confira as variações de secreção de acordo com o período do ciclo menstrual:

  • Antes da menstruação: transparente e em pouca quantidade. Pode ficar amarelado ou amarronzado por conter um pouco de sangue;
  • Período fértil: aparência de clara de ovo (transparente e fluido);
  • Após período fértil: cor mais amarelada e consistência mais espessa;
  • Durante relação sexual: menos espesso e sem cor.

Mas quando o corrimento pode ser sinal de um problema?

O corrimento considerado atípico ou anormal geralmente é acompanhado de coceira, alteração de cor e de cheiro. Quando a secreção é muito espessa, tem mau cheiro, é acinzentada, esverdeada, amarelo forte ou amarronzada é sinal de que há algum problema.

Quando preciso ir ao ginecologista?

Problemas vaginais também costumam causar coceira ou ardor ao fazer xixi. Isso acontece quando há desequilíbrio na microbiota vaginal, com proliferação de micro-organismos “ruins”. Existem muitos fatores que podem prejudicar a flora bacteriana vaginal e é necessário saber todos os aspectos dos sintomas para conseguir definir a causa e origem do problema.

Dra. Kathya atende na PopClini, sua clínica popular em Porto Seguro, e pode te ajudar a cuidar, tratar e prevenir doenças do aparelho reprodutor feminino. Marque sua consulta!

Saúde da mulher: saiba quais são os 2 hormônios mais importante e suas funções

Postagens Recomendadas