DIU de cobre, método contraceptivo não hormonal. Foto: Reprodução/Ministério da Saúde

O que é o DIU?

O dispositivo intrauterino – DIU é o método contraceptivo reversível mais usado no mundo, com 99,3% de eficácia. É uma pequena haste no formato das letras T ou Y feita de cobre ou prata e cobre que é colocado dentro do útero.

Como o DIU funciona?

A haste do DIU fica  no útero da mulher por um período que varia de 5 a 10 anos liberando íons que dificultam bastante a mobilidade dos espermatozoides em torno do útero, dificultando assim a fecundação. O útero se torna um local hostil para o espermatozoide, impedindo que ele fecunde o óvulo.

Tem alguma contra indicação?

O DIU não é indicado para mulheres com alguma anormalidade anatômica do útero ou do canal do colo uterino; infecção ou inflamação ginecológica ativa; gravidez ou suspeita de gravidez; câncer de útero ou endométrio; mioma que distorça a cavidade uterina; e mulheres com alergia a cobre.

Leia mais: Quer saber quando é necessário procurar um ginecologista?

Como o DIU é colocado?

Apenas um médico ginecologista pode colocar o DIU no interior do útero de forma segura e efetiva. Antes do procedimento, serão feitos os exames necessários para verificar se o corpo pode receber o dispositivo. O procedimento é simples e pode ser feito no consultório: a haste fica implantada dentro do útero e uma cordinha ligada à extremidade inferior do DIU é deixada dentro da vagina. O fio é fininho e fica muito próximo à saída do colo do útero, de modo que não é sentido pela paciente.

Como o DIU afeta a menstruação? 

Pacientes que usam o DIU menstruam normalmente. É possível que o fluxo menstrual aumente, principalmente nos primeiros três meses, o período de adaptação do corpo ao método.

O uso do DIU causa infertilidade?

Não. Enquanto o DIU de cobre está dentro do útero ele cria um ambiente hostil para os espermatozoides, mas ele pode ser retirado por um profissional a qualquer momento..

Quais são efeitos colaterais?

Algumas mulheres relatam aumento do fluxo menstrual e de cólicas após inserirem o DIU, mas isto não é uma regra. Geralmente esses efeitos costumam melhorar após os 3 primeiros meses do procedimento.

E aí, ainda tem alguma dúvida sobre o DIU? Manda para a gente! E se tiver interesse em colocar um DIU, marque uma consulta com nossa ginecologista, Dra. Kathya Azevedo.

Postagens Recomendadas